◄ Voltar

Tese de Impacto Social em Habitação

Qual o tamanho do problema habitacional brasileiro?

A Artemisia e a Gerdau com o Instituto Vedacit, Tigre, Votorantim e apoio da Caixa e CAU, publicaram o resultado de um amplo estudo sobre impacto em habitação no Brasil. A SmartSíndico aparece como o case de negócio de administração condominial. Fazemos aqui um resumo dos pontos.

Sabemos que a moradia tem um papel fundamental na vida das pessoas, não servindo apenas de um teto, mas sim fornecendo qualidade de vida, segurança e um local de convívio familiar. A habitação, além de objetivamente atender critérios técnicos de engenharia, deve ser adequada sobre outros aspectos como os econômicos e sociais. Por exemplo, sua localização é fundamental para que possa ter acesso à infraestrutura, empregos, educação e outros serviços.

Das 169 metas dos ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentáveis) da ONU, a habitação tem relação com 105, um elevadíssimo número. Em especial, está diretamente conectada com o objetivo 11, Cidades e Comunidades Sustentáveis.

O Brasil possui 70 milhões de habitações, sendo 85% delas urbanas, bem acima da média mundial. Mas, o déficit habitacional cresceu nos últimos anos atingindo 7 milhões de famílias. Além disso, existem 11 milhões de moradias inadequadas, expondo seus habitantes a riscos, inclusive de saúde.

Muitas construções são informais, sem orientação técnica ou projeto. Gambiarras são frequentes.

A indústria da construção é atrasada, com baixo uso de tecnologia, improdutiva e sem inovação. Isto pode ser uma grande oportunidade de mudança e já se vê um cenário futuro promissor, mais inteligente e sustentável.

Algumas startups aparecem como soluções em diferentes pontos. No segmento de administração condominial, a SmartSíndico é apresentada como única ferramenta para ajudar na gestão, formação e realização dos serviços necessários.

Confira a tese na íntegra.